For a Conscious Clothing


O sim para o comércio justo / Saying yes to fair trade

por um tecer consciente / for a conscious weaving

A injustiça social da indústria da moda / The social injustice of the fashion industry

Já parou para pensar como aquele seu lindo item de vestuário foi feito? De beleza não tem nada o fato de uma roupa ser fabricada em condições subumanas e de exploração. E sim, há uma enorme mancha de sangue na indústria da moda cada vez que um vestido da cor e estampa da temporada ou uma calça jeans com o formato do momento foram feitos por trabalhadores durante longas horas de jornada de trabalho, em locais onde as necessidades básicas são reprimidas, em porões fechados, sujos e sem segurança e sem o direito de um salário que lhe permita ao menos uma vida digna. O vídeo “China Blue” mostra uma faceta desta dura realidade da qual milhões de indivíduos estão envolvidos. / Ever wonder how that your beautiful item of clothing was made? Beauty has nothing of the fact that a garment is manufactured in subhuman conditions and exploitation. And yes, there is a huge blood stain on the fashion industry every time a dress with the pattern and color of the season or a pair of jeans with the trend format were made by workers during long hours of daily work, in places where the basics needs are suppressed, in locked, dirty and without security basements, and without the right to a fair wage that allows at least a decent life. The video “China Blue” shows a facet of this harsh reality that millions of individuals are involved.

Portanto, a prática do comércio justo é necessária. Como saber e verificar se a sua linda aquisição foi feita sob o princípio social da sustentabilidade? Procure por selos de certificação, assim como por produtos de ONGs e comunidades. Eles comprovam que levar em consideração os lugares e as pessoas no processo de fabricação de uma roupa é muito (ou mais) importante que a coleção do momento. E você, como consumidor(a) tem o papel de exigir das empresas a transparência dos seus processos de produção dos seus produtos de moda. / Therefore, the practice of fair trade is needed. How to know and verify that your beautiful purchase was made under the social principle of sustainability? Look for clothes labeled under the Fair Trade Act, as well as by products from NGOs and poor communities. They prove that people and places mean as much as (or more than) the company’s bottom line. And you, as a consumer has the role to require transparency from companies when it comes to theirs production processes of theirs fashion products.

Agora, fiquem com outro vídeo. Este é do grupo musical Radiohead no qual a mensagem é clara: “Algumas coisas custam mais do que você as percebe”. E na próxima vez que entrarem em uma loja, pensem nas pessoas que deram o seu suor naquela peça de roupa a qual irá para o seu armário. / Now, stay with another video. This is from Radiohead (a rock band) in which the message is clear: “Some things cost more than you realise”. So, next time you come into a store, think about the people who gave their sweat on that clothing which will go straight off your closet.

 

Advertisements

Liberando o meu closet / Making my closet free

por um vestir consciente / for a conscious clothing

Evento de venda e troca de roupas / Event of selling and swapping clothes

Estes tempos atrás, Cathy Henry me convidou para falar sobre moda e sustentabilidade no evento o qual ela está organizando. Sendo a proposta do “Free your Closet” de ser um encontro de venda e troca de roupas e acessórios entre mulheres antenadas com as novas formas de consumo sustentável, eu me animei e decidi abrir o meu armário e me desapegar de algumas peças (aliás, se lembram do meu primeiro post?). / A short time ago, Cathy Henry invited me to speak about fashion and sustainability at the event that she is organizing. As the purpose of Free you Closet is to be an event of selling and swapping clothes and accessories between updated women with the new ways of sustainable consumption, I got myself excited to this and I decided to open my closet and let go of some clothing items (by the way, do you remember my first ever post?).

Fui até o meu guarda-roupa e olhei peça por peça, gaveta por gaveta. Algumas eu já sabia que iriam ser escolhidas para a venda, outras resolvi dar a chance de eu tentar usá-las mais uma vez (do contrário, na próxima vez elas serão vendidas) e várias eu experimentei para ver se realmente estavam pequenas demais e estas serão vendidas. Ao todo foram selecionadas 20 peças entre blusas, calças e casacos. / I went to my wardrobe and looked at item by item, drawer by drawer. Some I knew it’d be chosen for the sale, others I decided to give a new chance for trying to use them again (otherwise, the next time they are going to be sold) and I put several of them on to see if they were too small and these will be sold. Altogether 20 pieces were selected from T-shirts, sweaters, pants and jackets.

Para quem está achando tudo isso uma novidade, ela não é. Com o fortalecimento da tendência vintage, cada vez mais mulheres aderem aos brechós ditos de luxo para vender e comprar suas roupas. A prática já é consolidada na Europa e nos Estados Unidos, onde você encontra preciosidades a baixo custo. Concebido pela dupla Cathy Henry e Jérôme Guinet,  o “Free your closet” se configura assim, como pioneiro no Brasil desta tendência de moda e consumo, a dos eventos públicos de venda e troca de roupas. / For those who are finding it all a novelty, it is not. With the strengthening of the vintage trend, more and more women join the thrift, as said of luxury, to sell and buy their clothes. The practice is already consolidated in Europe and the United States, where you find gems at low cost. Concieved by double Cathy Henry and Jérôme Guinet, the Free your closet is configured so far as a pioneer of  this trend of fashion and consumption in Brazil, the public events of sale and swap of clothing.


A primeira série do encontro será dia 12 de setembro, das 11h às 21h no restaurante Chakras (Rua Melo Alves, 294 – Jardins – São Paulo) e reúne roupas e acessórios de 15 mulheres de vários estilos, manequins e idades. As participantes vendedoras como são chamadas as parceiras foram garimpadas na internet, pela rede social Facebook e contaram com um blog para tirar suas dúvidas. As marcas de bolsas Le Recyclé, de lingerie Malu Monteiro e de maquiagem Mary Kay também foram convidadas para este encontro. Venha, renove seu closet, faça novas amizades e contribua para fazer um mundo sustentável. / The first series of the event will be on Sept. 12, in a restaurant located in the city of São Paulo, Brazil and gathers clothes and accessories from 15 women of different styles, sizes and age. These participating vendors were panned on the Internet, through the social network Facebook and counted on a blog to take your questions. The brands of handbags Le Recycle, of lingerie Malu Miller and Mary Kay makeup were also invited to this meeting. Come, renew your closet, make new friends and help to develop a sustainable world.


O atual ambiente vintage / The today’s vintage space

por um vestir consciente / for a conscious clothing

A minha experiência no brechó À La Garçonne / My experience at the vintage store À La Garçonne

Recentemente li um artigo* sobre locais onde o que se vende são contato com memórias de um tempo passado e proximidade com um mundo imaginário que somente tais lugares nos proporcionam quando comparados com a artificialidade dos hipermercados ou shopping centers das grandes cidades. Um destes espaços que me levou a este vínculo com o tal espírito vintage é o brechó À La Garçonne. / Recently I have read an article* about locals where they sell contact with memories of a remote past and proximity to an imaginary world that only in such places offer as compared to the artificiality of hypermarkets and shopping malls of big cities. One of these spaces that led me to this link with the so-called vintage spirit is the thrift store À La Garçonne located in Sao Paulo.

a pequena e retrô vitirne do brechó / the small window display of the vintage store

De uma fachada quase imperceptível do outro lado da rua, adentrei na loja após passar por uma porta antiga de madeira com vidro e aquelas antigas maçanetas, e me deparei com um espaço muito bem organizado e ao mesmo tempo com cheiro de um novo antigo. Parede com tijolos à vista, poltrona coberta com colchas ao estio vovó, espelhos antigos, expositores, mesas, baús, armários e até os cabides das roupas são de madeira que nos remetem a esta atmosfera de um passado remoto. / A facade almost imperceptibly across the street, I entered the store after going through an old wooden door with glass and those old doorknobs, and I came across a very well organized space smelling like a new antique. Wall with exposed brick, an armchair covered with quilts in a grandma style, old mirrors, displays, tables, chests, closets and even the clothes hangers are made of wood that refer to this atmosphere of a distant and yet, touchable past.

Ao ser bem recebida pelos dois vendedores do brechó, descobri que o espaço era maior do que aquele cômodo das roupas femininas. Deixei-me levar pelo clima nostálgico para descobrir os outros quartos da casa. Até quintal com uma deliciosa área verde e cantina para um café o local tem! / As being well received by both vendors of this vintage store, I discovered that the place was larger than that women’s clothing room. Taken by this nostalgic mood, I let me to discover the other rooms of the house. Even the yard with a delightful green area and canteen for a coffee the space has!

o ambiente feminino logo na entrada da loja / the female room as soon as you enter at the store

ainda no mesmo espaço... / still at the same room...

as roupas para as mulheres... / the women's clothing...

...e as carteiras estão lá também / ... and there are the clutches

os homens também tem seu espaço / men have their own room

suas roupas... / their clothing...

... e alguns de seus acessórios / ... and some of their accessories

... e alguns de seus acessórios / ... and some of their accessories

estas camisetas de bandas de rock antigas são exclusivas, só À La Garçonne vende elas aqui no Brasil / only this vintage store sells these old rock bands T-shirts here in Brazil

Entretanto, vamos ao que interessa: não só roupas e acessórios femininos, masculinos e infantis de décadas passadas e garimpadas em Nova York o brechó vende, as marcas contemporâneas D’Arouche, Alcides & Amigos e os produtos Granado tem espaço garantido, assim como o projeto “Pedigree – Adotar é tudo de bom”. Com duração de um ano, a venda das peças doadas pelos embaixadores da causa será revertida em forma de ração para câes abandonados. Alguns nomes destes apoiadores são os estilistas Alexandre Herchcovitch, Glória Coelho, Paulo Borges e Natalie Klein. / However, let’s get to it: not only clothes and accessories for women, men and children of past decades and panned in New York sells the thrift store, but also the brands D’Arouche and Alcides & Amigos and the cosmetic products of Granado. Besides this, the store holds a project – “Pedigree – Adoption is good”. For an year, the sell of donated clothing from the ambassadors will be reversed in order to feed abandoned dogs. Great designers and business people from Brazil are some of the supporters for the cause, such as Alexandre Herchcovitch.

os detalhes, aqui, uma pequena sala de estar com sofá e móveis antigos foi reconstituída neste espaço maior localizado no quintal / the details - a living room with old couch and furnitures in the middle of the covered great room at the backyard

a perfumaria onde os cosméticos Granado estão expostos / a room where the cosmetics of Granado are

neste espaço uma bomboniere de vidro guarda os lenços / in this room, an old glass bomboniere where the scarfs are placed

Inaugurada em dezembro passado e concebida pelo empresário Fábio Souza, a loja resgata um tempo perdido e anuncia que o vintage é a ponte segura entre passado e futuro neste nosso presente incerto. Vale a pena a visita! / Opened last December and conceived by businessman Fabio Souza, the store brings back a lost time and announces that the vintage is a secure bridge between past and future in our uncertain present days. A must see!

*o artigo do qual mencionei se trata do texto “Por uma geopoética de armazéns e refúgios”, escrito pela jornalista e cool hunter Carol Garcia para a revista “dObras” – edição março, 2010. / *the article that I mentioned before is the text “For a geopoetic of warehouses and refuges” (as translated) written by the journalist and cool hunter Carol Garcia for the Brazilian magazine “dObras” – edition of march, 2010.

The Uniform Project

por um vestir consciente / for a conscious clothing

1 vestido, 365 dias e muita inspiração / 1 day, 365 days and a lot of inspiration

Você usaria o mesmo vestido com um look diferente cada dia durante um ano? Não? Pois foi este o desafio lançado por Sheena Matheiken para ela mesma a ser finalizado dentro de um mês. / Would you wear the same dress in a different look every single day for a whole year? No? Well, this was the challenge taken by Sheena Matheiken which is going to be finished in a month.

Desde maio de 2009, Sheena Matheiken e sua parceira Eliza Starbuck, quem projetou o seu Little Black Dress, estão à frente do The Uniform Project, um projeto (muito) inspirador e, não apenas no sentido de estilo. Tendo o vestido-uniforme como uma tela “branca” à espera de cores, colagens e novos significados, Sheena o enfeita com peças de vestuário feitas à mão, vintage ou recicladas, ou seja, são itens que promovem a sustentabilidade na moda. O resultado destas criações de estilo são looks improvisados, diferentes, desejáveis e criativos. Abaixo, estão os meus três looks preferidos. / Since May of 2009, Sheena Matheiken and her partner Eliza Starbuck, who designed the Little Black Dress, are at the front line of The Uniform Project, a very inspiring project and not only in the sense of style. Promoting sustainability in fashion by wearing this uniform dress as a “white” canvas waiting for colors, collages and new meanings, Sheena accessorizes it with clothing items which are handmade, vintage or recycled. The result of these styled creations are improvised, different and creative looks. Below my favorite ones.

What gets my attention in this look was this upcycled t-shirt turned into a tunic top

This upcycled t-shirt turned into a tunic top gets my attention in this look

The cape reminds me an winter story that looks like a fairy tale

Sheena rocks in this Disco Doherty outfit!

O grande mérito do projeto não são as roupas e os acessórios em si e, sim, o levantamento de dinheiro para a Akanksha Foundation, uma organização não-governamental para a educação de crianças que vivem em condições precárias na Índia. Com o governo indiano gastando uma média de $360 em cada escola pública por ano, Akanksha investe o mesmo valor em cada criança que moram nas favelas para oferecer a elas uma melhor educação. Comovida e engajada, Sheena está doando $1 cada dia durante os 365 dias do The U.P. e convida a todos a participar nesta causa. / The great merit of the Project aren’t the clothes and the accessories themselves and, yes, the fundraising for Akanksha Foundation, a non-profit educational organization for underprivileged childrens in India. With the Indian government spending an average of $360 on each child’s public school year, Akanksha has vowed to spend the same amount on every child in the slums to afford them a better, more holistic education. Sheena is doing her part donating $1 each day during the 365 days of the U.P. and invites everyone to join into the cause.


credits to The U.P.

Com a maratona chegando ao final, duas ações estão em curso: a primeira é a compra da edição limitada de 365 vestidos, cada um representando um dia deste projeto de um ano. Os pedidos começam hoje e cada little black dress custa U$180 dos quais U$30 irão diretamente para a Akanksha. A outra proposta começa amanhã e se trata de um leilão dos incontáveis acessórios doados e usados criativamente por Sheena. Com o espírito do reuso e de impulsionar o levantamento de fundos para a Akanksha Foundation, as criadoras do projeto estão leiloando todas as adoráveis doações – dos chapéus e cintos a calças, saias e sapatos e muito mais. / With the project reaching its final line, two actions are ongoing: the first is the limited edition release of 365 dresses, each representing a day in Sheena’s year long wear-a-thon. They are now available for order and each uniform dress costs $180USD from which $30USD will go directly to the Akanksha Foundation. Starting this Monday in the true spirit of re-use and to further boost the fundraiser for the children of Akanksha, the Accessory Auction is about auctioning off all of the lovely and countless donations; handmade, vintage and designer accessories that Sheena has artfully paired with her little black dress.

Não é a toa que o The Uniform Project fez sucesso ao redor do mundo. Afinal, Sheena provou que com um pouco de criatividade, qualquer acessório bonito pode percorrer um longo caminho. Inspirador, não? / No wonder that The Uniform Project was a success around the world. After all, Sheena has proven that with a little creativity, one fabulous accessory can go a long way. Quite inspiring, no?


A importância do brechó / The importance of the vintage clothing stores

por um vestir consciente / for a conscious clothing

E a visita ao brechó Juisi by Licquor / Visiting a São Paulo city jumble store

Não foi a primeira vez e também não é ainda um local que costumo frequentar muito até porque o meu conceito de brechó não é o mais o mesmo faz apenas um pouco mais de dois ou três anos. Para quem pensa que brechó são lugares escuros, apertados, que cheiram a naftalina e que torce o nariz porque vai comprar uma roupa ou um acessório que já foi usado por outra pessoa, melhor reciclar suas ideias! / It wasn’t the first time nor is a local that I use to go very often even because my concept of the vintage clothing stores isn’t the same for little more than two or three years. For whom think of jumble stores are darken and small places that smell the old days and sniff just because is going to buy an outfit or an accessory that had already been used by someone else, it’s better to recycle its ideas!

Sim, concordo que a experiência de comprar em brechós aqui no Brasil, especificamente em São Paulo e principalmente nas cidades do interior, ainda não é das melhores justamente porque são pouquíssimas as lojas que fazem uma seleção das peças (época, gênero, marcas), pensam na organização das roupas e acessórios (cor, tamanho, gênero) e no espaço do estabelecimento para que um possível comprador se sinta bem, ou seja, os donos deveriam “arrumar a casa” para atrair o consumidor. / Yes, I must agree that the experience in buying at this kind of shops here in Brazil, specifically in Sao Paulo city and mainly in the countryside cities, is not yet one of the best. And this happens because there are few stores that make a selection of the best clothing pieces (separating them in epoch, genders, brands), think of the organization of the clothes and accessories (color, size, gender) and of the interior design for a consumer feeling welcome and treat the business seriously, this means, the owners should “get the house” to attract people.

Recentemente tive a oportunidade de conhecer o brechó Juisi by Licquor, uma das lojas vintage mais conceituadas de São Paulo, assim como B.Luxo (do qual conheço) e Minha avó tinha. A experiência de compra nestes três exemplos citados é (quase) igual a que qualquer pessoa tem em qualquer outra loja de moda e acessórios: a vitrine chama a atenção do consumidor, as roupas estão selecionadas e separadas nas prateleiras, tem um provador e você é bem atendido por um vendedor que sabe informar sobre cada produto. A única e principal diferença entre estes lugares e as lojas comuns é a não existência de coleções e a mesma peça de roupa ou acessório. / Recently I had the opportunity to know the vintage clothing store called Juisi by Licquor, one of the most conceptualized São Paulo city’s vintage shops, as well as the stores B.Luxo (which I know) and Minha avó tinha. The shopping experience in these three examples is (almost) the same as any person has in any other fashion and accessory shop: the display window gets the consumer’s attention, the clothes are selected and separated in the shelves and you are well attended by a salesclerk who knows everything about each and every product. The only and main difference between these places and the common shops is the not existence of collections and the same clothes and accessories.

Juisi by Licquor entree

Women's wear

Men's wear

Shoes

Sunglasses

Bags

A mix of products

Se você é uma pessoa antenada, gosta de moda e se importa com a origem de suas roupas (a maioria é feita a partir de práticas trabalhistas exploradoras), não há oportunidade melhor para garimpar um produto único, exclusivo e barato (ok, isto é relativo), além de ser a alternativa perfeita às suas compras em lojas populares. Afinal, nunca esteve tão na moda, usar roupas vintage. E você, vai ficar fora desta? / If you are an updated person who enjoys fashion and cares about the origin of your clothes (the most of them is made from exploitative labor practices), there is no other better opportunity to buy an exclusive, unique and cheap product, beyond of being the perfect alternative for your purchases in those popular department stores. After all, it has never been so in fashion wearing vintage clothes and accessories. And you, are you going to be out of this?


As teias sustentáveis da Tarantula / The Tarantula’s sustainable webs

por um falar consciente / for a conscious speaking

A estilista e empresária Chiara inicia projetos de sustentabilidade/ The fashion designer and businesswoman Chiara starts sustainability projects

Dos altos dos seus 1,80m de altura e 38 anos, Chiara Gadaleta Klajmic é modelo, stylist, estilista, designer, consultora de moda, blogueira, apresentadora e empresária. Casada com o fotógrafo Daniel Klajmic e mãe de dois filhos. Mesmo assinando todos estes papéis, agora ela costura um novo ponto: o da sustentabilidade. / With 1.80 m tall and 38 years young, Chiara Gadaleta Klajmic is a model, stylist, fashion designer, fashion consultant, blogger, TV host and entrepreneur. She is married to the photographer Daniel Klajmic and mother of two children. Even signing all these papers, now she sews a new point: the one of sustainability.

Chiara at Kiehl's store

Tarantula, a sua marca de roupas e acessórios exclusivos passa para novos tempos. A produção de roupas sai de linha e Chiara tece manualmente novos fios. Retalhos, linhas e fios dão vida a novas bijoux que são amarradas ao projeto Ser Sustentável com Estilo juntamente com o blog e os Bazares Sustentáveis. Tudo isso empacotado dentro deste ano. / Tarantula, her brand of clothing and accessories passes through to new times. The production of clothes is out of line and Chiara manually weaves new threads. Flaps, lines and threads give life to new costume jewelry that are tied to the project called Being Sustainable with Style together with the blog and the Sustainable Bazaars. All this packaged within this year.

Intuitiva e natural que Chiara é, ela separa esses retalhos das suas coleções passadas e, neste processo de transformação, tudo é objeto de uso, como por exemplo, um pingente de um colar antigo dos anos 70. “Às vezes existem restos de fios que estão todos emaranhados e por não conseguir separá-los, utilizo o ao meu favor”, Chiara diz. / Intuitive and natural that Chiara is, she separates the flaps of her brand’s past collections and in the process of transformation, everything is an object of use, such as a pendant of a necklace belonging to the 70’s. “Sometimes there are remnants of threads that are all tangled and you can not separate them, so I use them to my advantage”, Chiara says.

The eco necklace with the 70's pendant

As roupas saem de cena por não serem sustentáveis, porém o grande estoque dos retalhos das outras coleções permite a Chiara a produção das eco bijoux. Se Chiara não encontrar soluções para a sua produção de roupas ser sustentável e acabar os restos têxteis, ela buscará marcas parceiras para o fornecimento de materiais reaproveitados e reciclados e assim, apenas produzirá as bijoux. / The clothes go out of business because they are not sustainable, but the large stock of flaps from other collections allows Chiara to produce her eco costume jewelry line. If Chiara doesn’t find solutions for her garment production to be sustainable and eventually the textile garbage ends up, she will seek trade partners for the supply of reused and recycled materials and then she will only carry on with the costume jewelry.

Engajada em fazer a diferença na moda pelo viés da sustentabilidade, Chiara alfineta as empresas que atualmente se utilizam do marketing para promover a chamada “moda sustentável” dizendo que esta prática pode dar status, mas acredita que apenas as marcas que possuam uma preocupação verdadeira com o desenvolvimento sustentável, sobrevivam nesse marketing. / As Chiara is committed to making a difference in fashion from the perspective of sustainability, she pricks the businesses that currently use the marketing to promote the so-called “sustainable fashion”, saying that this practice may give status, but she believes that only brands which have a genuine concern with sustainable development will survive in this marketing.

Aliás, para sobreviver neste novo nicho de mercado, o de produtos de moda ecologicamente corretos e socialmente responsáveis, é uma difícil luta. O preconceito das pessoas e a falta de comunicação adequada colaboram para o não conhecimento destes produtos. E esta é a razão do blog “Ser sustentável com Estilo”: ser um canal de comunicação que entre outros assuntos, também trata de promover e difundir a sustentabilidade na moda. / Indeed, to survive in this new market niche, the one of fashion products which are environmentally friendly and socially responsible is a difficult struggle. The prejudice of the people and the lack of proper communication collaborate to the not aware of these products. And this is the reason the blog “Being sustainable with Style” to be a channel of communication which among other issues, also works to promote and disseminate the sustainable fashion.

E é pelo viés social da sustentabilidade que recentemente Chiara se associou à botica (marca de cosméticos) Kiehl’s para apresentar uma edição limitada do produto Ultimate Strength Hand Salve customizado por ela e cujo lucro da venda deste produto será revertido para a Sociedade Viva Cazuza que apoia às vítimas de AIDS. “Esta parceria (com a Sociedade Viva Cazuza) foi uma das várias ações que vamos fazer juntos”, Chiara, a embaixadora da marca aqui no Brasil diz. / And it is from the social aspects of sustainability that Chiara has recently joined to the pharmacy (cosmetic brand) Kiehl’s to present a limited edition of a product called “Ultimate Strength Hand Salve” customized by her. The profit raised from the sale of this product will be reverted to the “Viva Cazuza Society” that supports the victims of AIDS. “This partnership (with the “Viva Cazuza Society”) was one of several actions that we will do together”, Chiara, the Brazilian brand ambassador says.

The product called “Ultimate Strength Hand Salve” customized by Chiara

Com tantos projetos em andamento, como também o trabalho como apresentadora de TV do programa “Tamanho Único” do canal GNT, Chiara impressiona por seu traçado profissional. / With so many projects in progress, Chiara also works as a TV host of the Brazilian program called “Tamanho Único” (translating is “One Size Fits All”). And that’s why Chiara impresses by her professional path.

Nascida em Nápoles, Itália, porém criada em São Paulo, Chiara começou sua trajetória profissional na moda como modelo quando a editora de moda Patrícia Carta (da Revista Casa Vogue) pediu a ela para fazer fotos para um catálogo que ela estava editando. Muito tímida, Chiara relutou, mas Patrícia convenceu-a e seu primeiro trabalho foi um catálogo para Huis Clos com o (fotógrafo) Bob Wolfenson. / Born in Naples, Italy, but raised in São Paulo, Chiara began her career in fashion as a model when the fashion editor Patricia Carta (from Vogue magazine) asked her to take photos for a book she was editing. Very shy, Chiara was reluctant, but Patricia convinced her and her first job was a catalog for Huis Clos (a Brazilian brand) with the photographer Bob Wolfenson.

Já como modelo consagrada dos anos 90, Chiara estudou estilismo no Studio Berçot em Paris. E conta que teve muita sorte de estudar lá, pois foi onde ela se descobriu e que foi aceita exatamente por suas diferenças e seu estilo pessoal. Compartilha também que um momento muito importante da sua carreira foi quando a Marie Rucki (diretora da escola) convidou-a para dar aulas no Berçot. Assim, em 2000 ela ficou quatro meses na escola dando aulas de estilo para 80 pessoas do mundo todo. “Foi um momento inesquecível”, Chiara declara. / As an enshrined model of the 90’s, Chiara studied fashion design at Studio Berçot in Paris. And she accounts that she was very lucky to study there because it was where she was accepted precisely because of her differences and personal style and that she discovered more about herself. She also agrees that a very important moment of her career was when Marie Rucki (the school director) invited her to teach at Berçot. So she spent four months at the school teaching style for 80 people from around the world in 2000. “It was an unforgettable moment,” Chiara says.

De volta para o Brasil, ela começou a trabalhar como stylist e estilista. Em 2006, se torna empresária com o lançamento da sua marca Tarantula. E o ano de 2009, não só a marcou pelo início das suas preocupações com as gerações futuras, seus filhos e com assuntos e questões mais profundas em relação à moda, como também iniciou seu trabalho como apresentadora de TV. / Back to Brazil, she began working as a stylist and designer. In 2006, she becomes entrepreneur with the launch of her brand called Tarantula. And the year of 2009 not only marked the beginning of her concerns about the future generations, her children and the deeper issues about fashion, but she also began working as a TV host.

Envolvida e feliz com todos seus projetos, Chiara aconselha aos novos estilistas e designers adquirirem conhecimento sobre o desenvolvimento sustentável e pensarem que o design é o primeiro passo para a decisão se o produto será ou não sustentável. Dona de um estilo exuberante Chiara diz sempre que são os outros que nos definem e afirma que considera o seu estilo feminino e livre, mas se diverte muito com todas essas etiquetas que colam nela. Ponto para ela. / Involved and happy with all of her projects, Chiara’s advice to new fashion designers is to gain knowledge on sustainable development and to think that design is the first step in deciding whether the product is or not is sustainable. As a possessor of a flamboyant style Chiara always says that are the others who define us and states that she considers her style as feminine and with freedom, but she laughs out loud with all these labels that ones stick on her. Point to her.


4º Bazar sustentável / 4th edition of the Sustainable Bazaar

por um vestir consciente / for a conscious clothing

O Bazar Sustentável chega a sua 4ª edição com palestras e workshops nesta sexta-feira das 10h às 19h na Escola São Paulo. Abaixo, a programação completa. Eu vou, e vocês? / The Sustainable Bazaar comes to its 4th edition with lectures and workshops. It is going to take place this Friday from 10am to 7pm at Escola São Paulo. The complete program is below. I’m attending, and you?

Credits to Escola São Paulo


Bazar sustentável / Sustainable bazaar

por um vestir consciente / for a conscious clothing

E a moda como “upcycling” da sustentabilidade / And the fashion as the “upcycling” of the sustainability

Recentemente ocorreu a 3ª edição do Bazar Sustentável promovido pela designer e stylist Chiara Gadaleta na Escola São Paulo. A proposta consistiu em reunir roupas e acessórios de algumas marcas, como por exemplo, Juliana Jabour, Raphael Falci, Index Jeans e Kosii, que ao invés de terem seu fim no lixo têxtil, tais peças de coleções passadas ou paradas em estoque ganharam preços acessíveis de R$5,00 a R$50,00. / Recently the 3rd edition of the Sustainable Bazaar promoted by the fashion designer and stylist Chiara Gadaleta took place at Escola São Paulo (Sao Paulo School). The proposal was to gather clothes and accessories of some Brazilian brands, such as Juliana Jabour, Raphael Falci, Index Jeans and Kosii, that instead of having its ending as textile waste, such items of clothing of past collections or still in stock gained affordable prices.

Bazar Sustentável - entrada 1

Bazaar entree

Além da presença destas marcas, Chiara Gadaleta aproveitou o evento para lançar a sua linha de acessórios feita a partir de sobras de materiais descartados pela produção em larga escala e é denominada de “Ser sustentável por Chiara Gadaleta”. São colares lindos que chamam a nossa atenção mesmo vistos de longe e, sendo produzidos artesanalmente ganham o status de peça única. / Besides the presence of these brands, Chiara Gadaleta used the event to launch its line of accessories made from scraps of discarded materials by large-scale production and it is called “Being sustainable by Chiara Gadaleta”. They are beautiful necklaces that draw our attention even when they are seen from afar and, being produced by craftsmen they earn the status of unique.

Bazar Sustentável - look 1

Chiara's necklace

Bazar Sustentável - look 3

Chiara's necklace

Ambas as iniciativas são meios de consumo consciente. De um lado, temos as roupas as quais têm a oportunidade de serem, finalmente, usadas. Aliás, é bom lembrar que esta prática de revenda de roupas e acessórios das grifes não é novidade e, pelo menos aqui em São Paulo, as lojas outlets e os bazares (como por exemplo, o Q!Bazar) são exemplos que atestam este tipo de ação. A pergunta que fica, então, é: qual é o destino das roupas e dos acessórios que não são vendidos mesmo nestas ações? Eles são levados ao lixo têxtil e queimados? Ou eles são doados, reutilizados e reciclados para serem transformados em outros produtos? À exemplo dos colares da linha “Ser Sustentável”, refugos de tecidos e outros materiais descartados são reaproveitados e transformados em um produto exclusivo e mostram que sempre há possibilidades de aumentar o ciclo de vida de um produto. / Both initiatives are means of conscious consumption. On one hand, we have the clothes which have the opportunity to be finally used. Moreover, it is worth remembering that the practice of resale clothes and accessories of brands is not new and, at least here in Sao Paulo, shops and the bazaar outlets (eg, Q! Bazaar) are examples that prove this type action. Then the question that remains is: what is the destination of the clothes and accessories that are not sold even in these actions? Are they taken to the textile landfills and burnt? Or are they donated, reused and recycled to be transformed into other products? In the case of necklaces the line “Being sustainable by Chiara Gadaleta”, fabric scraps and other discarded materials are recycled and transformed into a unique product and they show that there is always possibilities for increasing the life cycle of a product.

Bazar Sustentável - roupas

Clothes to sell at the bazaar

Bazar Sustentável - vista 1.2

Shoppers at the bazaar

Mais interessante que o bazar, foi o bate-papo sobre moda sustentável com Chiara e Denise Chaer, da Comunicação Orgânica. Entre os mais variados assuntos abordados como os pilares do desenvolvimento sustentável (economia, sociedade, meio ambiente e cultura), tecidos naturais e orgânicos, marcas e estilistas que trabalham com este conceito de sustentabilidade na moda e, o mais interessante, o conceito de “upcycling” (do qual fui apresentada). / More interesting than the bazaar was the chat about sustainable fashion with Chiara Gadaleta and Denise Chaer, from the company Comunicação Orgânica (“Organic Communication”). Among the various issues raised as the pillars of sustainable development (economy, society, environment and culture), natural and organic fabrics, brands and designers who work with the concept of sustainability in fashion and, most interestingly, the concept of “upcycling” (which I was introduced).

Bazar Sustentável - Chiara e Denise 2

Denise Chaer and Chiara Gadaleta (right)

Upcycling” é um conceito criado por William McDonaugh e Michael Braungart (autores do livro “Cradle to Cradle”) que significa o processo de transformação de algo que é descartável em algo de maior uso e valor. Em outras palavras, é mais que um processo de reciclagem, pois o “upcycling” envolve além das questões ambientais (como redução de consumo de matérias-primas, da poluição, e entre outras), o fato de o material/produto transformado ter um valor igual ou superior ao seu valor inicial. / “Upcycling” is a concept created by William McDonaugh and Michael Braungart (authors of the book “Cradle to Cradle”) which means the transformation of something that is disposable into something of greater use and value. In other words, it is more than a recycling process, as the “upcycling” involves addition of environmental issues (such as reducing consumption of raw materials, of pollution, and others), the fact that the material and/or product processed have a value equal to or higher than its initial value.

Neste sentido, a moda pode cumprir um papel importante como “upcycling” da sustentabilidade. Com a democratização e a pluralidade cada vez maior da moda, faz-se necessário difundir práticas que levem em consideração este conceito aplicado em roupas, acessórios e joias. Um exemplo é a customização de roupas (vejam o post anterior) na qual a finalidade é ter uma roupa com um valor de design igual ou maior que o inicial (é claro que a customização que fiz foi a primeira e espero que venham melhores soluções!). / In this sense, fashion can play an important role as the “upcycling” of sustainability. With the growth of democratization and plurality in fashion, it is necessary to disseminate practices that take into account this concept applied to clothing, accessories and jewelry. An example is the customization of clothing (see the previous post) in which the aim is to have a item of clothing with a design value equal to or greater than the original one (of course, the customization I did was the first and I hope I will come up with best solutions!).


Workshop by Mutation

por um vestir consciente / for a conscious clothing

Como foi o workshop de customização de roupas / Telling how the clothes customization workshop was

A proposta era atraente: desapegar-me de uma única peça de roupa e transformá-la.  E assim, participei do workshop de customização de roupas promovido pela marca franco-brasileira “by Mutation” em parceria com a “Super Cool Market”, loja onde ocorreu a oficina. / To let go of a single item of clothing and to transform it in a new one sounded to me a very interesting proposal of this workshop promoted by this French and Brazilian brand called “by Mutation” and the Brazilian store called “Super Cool Market”, the place where this activity took place.

O primeiro dia contou com uma aula expositiva sobre o conceito de customização e o funcionamento da oficina e com a prática de projeto. Gabriela Mazepa, a estilista jovem que ministrou o curso e uma das proprietárias da marca “by Mutation”, explicou que o conceito de “customização” vai além da “personalização” de uma peça de roupa, como se costuma pensar. Ficou claro para mim, por exemplo, que se uma mulher prende um broche de flor na lapela do blazer para ficar mais feminina ou um homem dobra a barra da calça com o intuito de descontração, isto é personalizar o seu look, porque é através dos acessórios, do modo de usar uma roupa e de outros detalhes que se constrói a imagem pessoal. Assim, cada look é uma forma de personalização. Já a customização é o personalizar de uma roupa através de sua desconstrução/reconstrução, pois isto implica em um novo projeto que começa com ideias e desenhos e finaliza com a execução da nova peça. / An expositive class about the concept of customization, how the course would work and the project put in practice were the subjects of the first day. Gabriela Mazepa, the young fashion designer who taught the course and one of the owners of the brand “by Mutation”, explained that the concept of “customization” goes beyond the “personalization” of a garment, as people think. It was clear to me, for example, that if a woman holds a flower brooch on the lapel of the jacket to look more female or a man doubles the bar of pants in order to relax, it is to personalize your look, because it is through accessories, how to wear a costume and other details that builds their self-image. Thus, each look is a form of personalization. Since the customization is to personalize an item of clothing through its deconstruction / reconstruction, this implies a new project that begins with ideas and designs and ends with the implementation of the new garment.

My old jeans pants...

My old jeans pants...

The old Aline's dress

The old Aline's dress...

 As imagens acima se referem ao seu primeiro momento, antes de serem levadas às mulheres do projeto “Retece”, o qual é desenvolvido pelo Instituto Ecotece, para serem transformadas. Abaixo, o resultado. / Above, the images are about the clothes as they used to be before the transformation made by the “Retece” project’s women. This project is developed by the Brazilian institute called “Instituto Ecotece”. The results are the next images.

2 dia - saia Ana 4

...transformed in a jeans skirt...

2 dia - saia-blusa Ana 1

...which can also be used as a top

2 dia - blusa Aline 2

...transformed in a T-shirt + a strip of fabric that can be used as a scarf...

2 dia - blusa Aline 3

...or a belt

Como se percebe, houve uma customização das roupas. Se antes, elas estavam paradas no armário, agora elas voltarão a ser usadas. Para você, existe diferença entre personalização e customização? / As you can see, there was a clothes customization. They were stuck in the closet before and they are ready to be used now. And for you, are there any difference between clothes personalization and customization?


O desapego de roupas / The clothes detachment

por um vestir consciente / for a conscious clothing

A minha experiência sobre o desapego de roupas / My experience with the clothes detachment

Crédito ao blog Aha
Crédito ao blog Aha

Antes de tudo, o tema do desapego é muito amplo e está muito mais relacionado à cultura oriental do que a nossa, a ocidental. Em sua essência, desapego se relaciona ao ato de desprendimento de coisas, de pessoas e de lugares e isto não tem a ver com o desinteressar-se por tudo isso. Acredito que através do desapego, nos tornamos mais livres, nos permitimos e proporcionamos não somente a nós mesmos, mas também aos outros, ações e experiências de troca, de liberdade e até de consciência. / First of all, the theme of detachment is very broad and is much more related to the Eastern culture than ours, the Western one. In essence, detachment is related to the act of overcoming ones’ attachment to desire for things, people and places and this has nothing to do with the indifference to all of those desires. I believe that through letting go, we become freer, and allow ourselves to provide not only to ourselves but to the others, actions and experiences of exchange, of freedom, and even of conscience.

Por isso, quando fiquei sabendo do flash mob a ser realizado pelo programa “MOB Brasil” do canal Multishow através da artista plástica Adriana Guivo pelo twitter era sobre o desapegar-se de algum item do meu guarda-roupa, pensei que seria uma ótima oportunidade para colocar tal conceito em prática. / So when I found out about the flash mob to be held by the Brazilian TV show called “MOB Brazil” at the “Multishow” channel by artist Adriana Guivo was about letting go of some item in my wardrobe, I thought it was a great opportunity to put this concept into practice.

 MOB Brasil

Afinal, com tantas roupas paradas em um guarda-roupa cheio que não tem mais espaço para mais nada, estava na hora de me desapegar de alguma peça. O item escolhido foi uma pelerine de pele (falsa, é claro!!!) azul, linda, mas que nunca tinha usado porque percebi que não tinha nada a ver comigo. / After all, with so many stuck clothes in a closet that there is no more room for anything else, it was time to let go of some part. The selected item was a blue and beautiful cape made of fake (of course!) fur, which I have never used before because I realized that it had nothing to do with my style.

Então, dia 15 de setembro, fui até a Galeria Nova Barão no centro de São Paulo para participar das filmagens do “Desa(pegue)”, nome escolhido para esta edição do programa. Foi uma experiência incrível que consistiu em um “Escravos de Jó” com peças de roupa e a edição final que foi ao ar ontem, dia 1º de outubro, no canal Multishow às 22h30 ficou bem interessante com os depoimentos dos participantes, a espontaneidade da apresentadora Didi Wagner, os enquadramentos da intervenção e a ida à loja do estilista Marcelo Sommer. Para quem perdeu o programa, tem reprises na sexta às 15h30, domingo às 9h, segunda às 12h30, terça às 4h30 e quinta às 7h. / Then I went to this gallery called “Galeria Nova Barão” in Sao Paulo downtown to participate in the filming of “Detachment”, the name chosen for this edition of the TV show on September 15. It was an incredible experience that consisted of a popular Brazilian song for children called “Slaves of Job” dance with clothes and the final edition was very interesting with the testimony of the participants, the spontaneity of the host Didi Wagner, the frameworks of action and the visit to the store’s designer Marcelo Sommer. This TV show was aired yesterday, on October 1st, at the Multishow channel at 10:30pm. For those who missed the program, reruns will be on the air on Friday at 3:30 pm, on Sunday at 9 am, on Monday at 12:30 pm, on Tuesday at 4:30 am and on Thursday at 7 am.

Porém, o fato que mais chamou a minha atenção foi que esperava várias pessoas participando da mobilização e, o que ocorreu, foi justamente o oposto. E isto nos leva a pensar que as pessoas não estão preparadas para se desapegar de peças de roupas, das coisas, que contenham algum valor simbólico ou emocional muito forte para elas (não foi meu caso, infelizmente, mas a peça que ganhei em troca continha tal valor à antiga dona). E mesmo que o objeto não contenha um valor muito importante, às vezes vale muito mais pena desapegar-se de algum objeto doando-o a alguma instituição ou a alguém dando espaço em seu guarda-roupa ou em sua casa para novos objetos, ou melhor, fazendo-se a troca deles com as pessoas ou até mesmo com os seus amigos. / However, I was expecting many people participating in the mobilization and what happened was just the opposite, so this really caught my attention. And this fact leads us to think about that people are not prepared to let go of items of clothes, things, which contain a strong symbolic or emotional value for them (unfortunately, it wasn’t my case, but the t-shirt that I got in exchange contained such value to the former owner). And even if the object doesn’t have an important value, sometimes is much more worth letting go of some object by giving it to some institution or someone and getting from this space for new objects in your wardrobe or at your home, or rather , making the clothes swap with people or even with your friends.

E você, já se desapegou de alguma roupa? Como foi a experiência? Compartilhe-a. / And you, Have you already detached of some clothes? How was your experience? Share it here, please.